terça-feira, 30 de setembro de 2008

Quando li...

toco.me de cordas que me dividem ao meio
me abrem de mariposa
na boca tu
que me puxas
gemidos mamilos
que percorrem fluidos teus
nas pontas dos dedos que desenham contornos

venho.me
outra vez.


Vieste-te…

…imaginando cordas e restrição de movimentos… sentindo os Meus dedos nesses lábios molhados… sentindo-os a massajar esse pequeno ponto duro… cada vez mais duro… por vezes com doçura… outras vigorosamente…

Toquei-te por detrás, lembras-te? Depois de te acariciar o rabo… Momentos mágicos enquanto gemias de prazer… estavas muito molhada.

Dei-te dois orgasmos deliciosos. O primeiro pediste e Eu autorizei… não sem antes Me deliciar com esses mamilos… com cada curva desse corpo. Faltou o beijo… mas os lábios encostaram-se suavemente.

tu entregaste-te ao prazer.

Agora vieste-te…

…imaginado que te puxo… que uso a Minha boca… onde? Nos lábios? Será no pescoço ou nos mamilos? Talvez…

Mas, agora imagino Eu…


Imagino-te aberta como uma mariposa… será então a lamber-te e a chupar? A saborear-Me com o teu sabor… contigo a gemer cada vez mais… tesão…

E tu patrícia… gostas de chupar?

Agora vieste-te…
…Só que desta vez Eu não te autorizei a vir.

Talvez não seja o momento para te ter nas mãos. Mas é certamente tempo para te imaginar e pensar num dia.

Excitam-Me esses pensamentos. Excita-Me saber-Me na tua cabeça…


Talvez um dia… Quando for o tempo…

segunda-feira, 22 de setembro de 2008

Torturar uma mulher que aprecie ser torturada é algo muito interessante e excitante. Absolutamente sublime é torturá-la com todo o tempo e dedicação, com toda a preparação do local adequado para o fazer.

Fazê-la sofrer nas Minhas mãos... para o Meu prazer... e ao mesmo tempo ajudá-la a transformar a dor e o desconforto em prazer. Em prazer contagiante.

Isto é sadomasoquismo. Sadismo de um lado, masoquismo do outro. My scene.
Algumas variantes dos Meus desejos sádicos.


Mandá-la estar no canto à espera que a vá usar. Como Me apetecer. Quando Me apetecer.


Os joelhos começam a doer enquanto
Eu preparo os instrumentos de tortura.

Eu gosto disto. tu gostas disto.
Por isso escolheste a vida de submissa
e deixas o teu masoquismo crescer.

Eu sou sádico.

sexta-feira, 5 de setembro de 2008

Adormeci e acordei para ler o beijo especial das duas da manhã. Gosto de variar e por isso escrevo um email em vez de sms. Já são quatro e vinte e tal.

Gosto de te ler e gosto de saber o que te agrada e o que te fizeram ao longo da tua vida BDSM. Eu também gosto de fazer coisas… Vou falar “em ti” porque, como tu, também gostaria que existisse entre N/nós momentos deliciosos de BDSM.

Dizia-te então… Eu gosto de fazer coisas para ti e de te fazer coisas. But first things first.

Eu sou muito virado para os dispositivos e estou a imaginar muito artefactos a nascerem contigo.

Imagina Comigo… Uma cama metálica cheia de argolas para Eu te prender convenientemente e Me assegurar que não Me dás muito trabalho enquanto te torturo. Com umas cangas verticais ficarias bem imobilizada para Eu tratar com outros dispositivos essas mamas e essa cona bem aberta. Sabes, os mamilos eos lábios da cona são zonas do corpo onde Me agrada muitíssimo administrar dor. E por outro lado a cabeça imobilizada iria permitir-Me brincar com esse nariz e encher a boca com uma ballgag de tamanho apreciável. Gosto de Me dedicar enquanto torturo. E gosto que percebas que há sadismo.

Chamar-te ‘puta’ ao ouvido? Nem pensar. Tratar-te-ia por isabel, por menina e por Minha Querida.

E nessa altura já te estaria a fazer coisas – as torturas, daquelas deliciosas – numa coisa feita para ti – a cama.

Talvez nessa altura te dissesse mais uma coisa ao ouvido:

- isabel, vou colocar um post no fórum do BDSM a dizer que te estou a torturar e que só te irei deixar sair daqui quando alguém sugerir como irás passar as próximas horas. Enquanto não houver resposta Eu torturo-te.

- Múltiplas escolhas mas uma base comum. De hora a hora e até à meia-noite terás de cumprir repetidamente a sugestão do primeiro a responder.

- Masturbares-te para Mim em posições diferentes, por exemplo de pé, de quatro, no chão de barriga para baixo.

- Comeres no chão, por exemplo em taças, directamente do chão, lamber líquidos, etc.

- Imitares um animal diferente nos primeiro quinze minutos de cada hora.

- Servires de diferente peça de mobiliário, por exemplo, suporte de mesa, candeeiro, cadeira, cama, etc.

- Portas-te mal e és castigada; Portas-te bem e tens dias seguidos de muita ternura e carinho.

É importante que entendas que o BDSM para ser puro e verdadeiro tem de ser vivido no limiar dos limites. E que esses limites têm de ser ultrapassados para que novos limiares possam ser definidos. O abismo… a espiral…

O Meu sadismo será explorar isso e o teu masoquismo será tirar prazer do prazer que Me irás dar.

Agrada-Me o caminho.

Quatro e quarenta e oito da manhã. Gosto da tua atitude isabel. submissa. Um beijo por entre os sonhos.