quinta-feira, 29 de abril de 2010

Completamente enrolada em celofane... mumificada. Presa pelos cabelos à argola do tecto. Uma corda curta para obrigá-la a não assentar os calcanhares. Tinha a certeza que ela iria procurar que o nó do cabelo cedesse um pouco... antecipando coloquei uns pioneses por baixo dos calcanhares.

- Fazes muito barulho e obrigo-te a pisar feijões. Ou pedrinhas lá do jardim.

Um x-acto cortou o plástico e expôs os mamilos. Depois os clamps apertados e os pesos de chumbo. Gostei dos gemidos de dor.

Mostrei-lhe a cana bem perto do olhos. Sorri. Aproximei-Me.

- Sabes... Gosto muito de ti. Foi um doce murmurado ao ouvido.

Apeteceu-Me açoitá-la como nunca o tinha feito.

Minha puta.

segunda-feira, 19 de abril de 2010

Diferença Apreciável

Nas suas fantasias de Dominação e submissão (D/s) elas, as submissas, fantasiam muito a submeterem-se a uma autoridade muito forte que lhes impõe uma disciplina rígida e precisa. Fantasiam com um tratamento sério de castigo e recompensa baseado no seu comportamento à luz desse relacionamento.
Parece-Me bem.

Contudo, fantasiam como se não existissem algumas etapas prévias e muito necessárias para aqui chegar. E essa é uma das diferenças entre a Dominação fantasiosa e aquela possível e desejável.

Maquiavel dominava pelo medo. Eu prefiro dominar pela paixão. uma submissa é uma Mulher e como Mulher só pode ser bem tratada. É um ser apaixonante. Por isso é necessário tratá-la com respeito e educação e oferecer-lhe toda a cortesia e deferência. Nesse processo aprendo o seu modelo mental e gradualmente vou testando diferentes abordagens para a Dominar… para a vergar perante Mim. Não há receitas do tipo ‘batedeira bimbi’, mas sim uma construção gradual baseada em observação, análise, experimentação e avaliação dos resultados. E como todas as acções desencadeiam uma reacção Eu aproveito as que Me são favoráveis para ir apertando o cerco e despriorizo as outras.

O clique surge na cabeça delas quando o que dantes era uma sugestão se transforma numa ordem que exige obediência imediata. Quando o regime de disciplina que tanto prazer N/nos dá ganha alicerces. Nessa altura ela obedece por respeito e admiração e não por medo. De volta terá paixão e também admiração. Bem-vindas ao Meu mundo. Sim, Eu admiro as Mulheres com ‘M’ maiúsculo. Há pouco tempo atrás disseram-Me que MasterM deveria querer significar Mestre dessas Mulheres. Seguramente que também tem esse significado.

Já senti muitas meninas pensarem para elas próprias enquanto Eu lhes abria gentilmente a porta do carro para entrar que nunca mais vinha a Dominação e que Eu seria provavelmente mais um ‘baunilha’ à procura de uns beijos e um bom embrulhanço do que propriamente um Dominador.

- Calma menina, já estás a ser dominada… tu é que ainda não percebeste isso.

quarta-feira, 14 de abril de 2010


Is it ringing?

I was thinking of some sort of sexual torture. Something delicious that doesn’t involve pain, just discomfort and, of course, a small amount of cruelty. she will be completely nude and securely tied over the table top in a cross position with her legs wide open. A large number of leather straps will keep her effectively immobile. But I will allow her to have the toes free to move as this is an interesting feedback for the upcoming predicament.

Fully exposed and without any kind of alternative. Damn, I like this!

Every time My mobile rings I will refuse the call and she will be dildo and clit vibrated to an orgasm. I will not stop until she reaches an orgasm and I know that she will not simulate fake orgasms. W/we always play fair games…

she will be allowed to see Me… My devious eyes and smile… My pleasure. But she will not hear the phone ringing because I will have her ear plugged. I will not cheat but I may induce her in different and confusing directions. That’s a fair game too.

A two hours predicament in the afternoon of a busy day in the office. But nobody finds Me in the office…

terça-feira, 6 de abril de 2010

His eye

In the other room another perverted fellow is watching what is happening inside the box using a closed-loop television circuit with an infrared camera. He trained her for the last week on how to process pain and pleasure and on how to identify and manage subspace. He wants her to produce a good mixture of screams and moans and to avoid an uncontrolled subspace by all means.

She is allowed to have pleasure from what she is experiencing but her main objective is to provide BDSM entertainment for the guests and to have indirect pleasure for providing such pleasure.

He will keep an eye on her safety. He is empowered to disconnect the stimulation devices and to rush into the scene to quickly remove her from the box should any sort of emergency arise. He has the final authority and she is in His hands.

Will she have a bed to sleep and a seat to eat on the table on the following days? Will she be forced to have cold showers in the morning and forbidden to speak and have eye contact for an entire week?

That will depend on His evaluation of her performance. Guests will provide important information for His decision.

her faith in in His hands.

As always.

domingo, 4 de abril de 2010

Black Box

Have her tied in the box. Confined in complete darkness and ear plugged for a much more intense sensory deprivement.

Friends will arrive on time so she will not wait too long. However to have her waiting in anticipation is also part of the fun. The box doesn’t provide too much comfort… and to be in the very same position is something torturous… Not a bad thing anyway.

Invited fellows will have the opportunity to test the new generation of remote controls. But this one is not for TV sets or alike. It’s a remote pleasure device. She will thank us in due time… When she’s able to do so.

Details will be undisclosed because the box is in complete darkness and you will see nothing. But you may evaluate the results by her moans and screams.

Available buttons: Tit Pain, Cunt Pain, Clit Pleasure, Cunt Pleasure.